/ Gritos de Minha Alma: Minha Noite de São João Inesquecível

sábado, junho 23, 2007

Minha Noite de São João Inesquecível



Não tenho só uma noite de São João inesquecível,
tenho um monte delas, todas comemoradas
com muita alegria e animação.
Na minha terra natal, Paulo Jacinto,
cidadezinha do interior de Alagoas,
quase sempre, na noite de São João
chuviscava um pouco, enquanto as pessoas acendiam as fogueiras, umedecendo um pano velho com querosene,
colocando pedaços de papel por cima do pano
e ainda alguns gravetos secos, para que o fogo acendesse logo.
Quando a madeira estava um pouco verdosa,
o trabalho era grande, a fumaça era terrível,
mas, ficávamos ali, tentando atear aquele fogo
com um abano de palha , soprando, fazendo de tudo,
até a labareda crescer e aquecer a madeira.
Então, era aquele fogaréu!
Quando já tinha bastante brasa,
íamos assar o milho verde, gostoso, docinho,
tirado do pé naquele mesmo dia .
Gostávamos muito de assá-lo com um pouco da palha
e ficava delicioso, como se tivesse sido cozinhado.
Sempre havia alguma amiguinha das minhas filhas,
que queriam me tomar para madrinha
e ficávamos, uma de cada lado da fogueira,
segurando-nos as mãos e a afilhada dizia assim:
"Santo Antônio disse, São Pedro afirmou,
que você vai ser minha madrinha, que São João mandou".
Não sei se as palavras estão certas,
porque tem muito tempo e a memória me falha.
Mas, dizíamos isso e pulávamos a fogueira,
uma para o lado da outra, três vezes.
Terminado esse ritual, a afilhada pedia a bênção à madrinha.
Tenho muitas afilhadas e afilhados de São João.
Havia também um sanfoneiro, "sêo" Júlio Vaqueiro,
que animava as danças. Naquele tempo,
não se dizia: vamos ao baile! Dizia-se: vamos pra "dança",
que se fazia num grande salão,
onde se dançava xote, forró, baião,etc.
E lá pras tantas, todo mundo se animava
pra dançar a quadrilha, que era indispensável num São João.
Os homens procuravam suas damas
e a quadrilha rolava até tarde,
com todas as reviravoltas características daquela dança.
Eram assim as minhas noites de São João,
até que vim morar na capital e elas ficaram, inesquecíveis,
nas minhas mais doces lembranças.


Esse texto será publicado no jornal eletrônico "Timbafest" de Timbaúba-PE, no dia 25/06/2007, na coluna sócio-cultural de Daslan Melo Lima.
.
Copyright © jun /2007
By Valderez de Barros
All rights reserved.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home