/ Gritos de Minha Alma: Indiferença

quinta-feira, julho 12, 2012

Indiferença




Na solidão

Em que vive
 

Meu coração,
 

Há uma briga 

Dentro de mim
 

Entre a esperança
 

De viver um doce 

Sonho de amor,
 

E a vontade
 

De mergulhar
 

No vazio,
 

Na indiferença,
 

Pela minha inútil
 

Espera de ti.


Copyright ©jul /2012
By Valderez de Barros
All rights reserved.


4 Comments:

At sexta-feira, 13 julho, 2012, Anonymous Mario Neves said...

Olá Valderez! Feliz em vir aqui e ver sua página atualizada. Leio teu poema onde uma disputa interna acontece. Mergulhando na caudalosa luta de sua alma fico aqui torcendo para que a "esperança de viver" supere a "vontade de mergulhar no vazio", apesar de decepção pela indiferença e da espera inútil. Este é um pequeno grande poema que eu gostaria de ter escrito. Amiga postei também meu sonho e a espero em minha página. Um fim de semana maravilhoso a ti e a todos os teus. Saudações Poéticas - Mario Neves.

 
At domingo, 15 julho, 2012, Anonymous Lucinha said...

Oi amiguinha Val... tudo bem com vc?
Vim aqui ler vc...vc sabe o quanto adoro seus poemas... vc escreve com amor, não tenho palavras para descrever o que sinto cada vez que leio seus poemas...
Tenha um inicio de semana maravilhoso.. que Deus abençõe vc sempre e sua familia... beijinhos

 
At terça-feira, 17 julho, 2012, Anonymous Mario Neves said...

Olá Valderez! Aqui para a costumeira visita semanal, para regar a sementeira de amizade que aqui deixei a vicejar e também para saber de suas novidades. "Feliz daquela que tem o dom dos versos e o caminho enfeitado com flores e amigos, mas mais feliz ainda é aquela que sabe como e onde plantar as flores" Esta é você...Valderez! Desejo à você uma ótima sequência de semana, cheia de possibilidades...Saudações Poéticas - Mario Neves.

 
At quinta-feira, 19 julho, 2012, Anonymous Mario Neves said...

Ola Amiga Valderez! Não detenha a sua escrita, a sua sede de por no papel, na tela, num livro o que vive e transpira.Deixe vir a tona vocábulos expressando sentimentos que como aragens vem do coração. “Escreve. Seja uma carta, um diário ou umas notas enquanto falas ao telefone, mas escreve. Procura desnudar a tua alma por escrito, ainda que poucos leia; ou, o que é pior, que alguém acabe lendo o que não querias. O simples ato de escrever ajuda-nos a organizar o pensamento e a ver com mais clareza o que nos rodeia. Um papel e uma caneta fazem milagres, curam dores, consolidam sonhos, levam e trazem a esperança perdida. As palavras têm poder." O teu exemplo é uma prova disso. Saudações Poéticas - Mario Neves

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home