/ Gritos de Minha Alma: Fragilidade

domingo, julho 18, 2010

Fragilidade




Como um aparentemente

Delicado e delgado junco,

Envergo-me aos açoites

Das tempestades da vida,

Mas, seguro-me,

Agarro-me com força

À minha fragilidade

E, flexível como ele,

Volto inteira do tombo,

Toco minha vida pra frente,

Sem medo, porque,

Ainda dessa vez,

Não me quebrei.


Copyright © jul/2010
By Valderez de Barros
All rights reserved.

2 Comments:

At terça-feira, 20 julho, 2010, Blogger Lou Correia said...

Belíssimo, linda "Flor de Lis"!
És eterna, poetisa, não te quebrarás nunca!
Com carinho e admiração,
sua amiga-irmã,
Lou.

 
At terça-feira, 10 agosto, 2010, Blogger Dina a Ciganinha said...

Olá minha adorável amiga!
Que poema forte, tão forte quanto as suas estruturas amiga!
Amo ler-te!

Obrigad apela visita e gentil comentário!

bjs meus com carinho!
Diná

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home