/ Gritos de Minha Alma: Janeiro 2008

sexta-feira, janeiro 25, 2008

O que fiz de mim






O que fiz de mim,
Quando permiti
Que me magoasses
Sem nenhuma reação...?
Que me humilhasses,
Sem que para isso
Houvesse nenhuma razão...?

Eu sei que fiz de mim...
Uma mulher que se escondeu
Dentro de si mesma,
Aparentemente
Sem vontades, sem desejos,
Sem calor, sem alegria,
Numa quase apatia.

O que fiz de mim,
Foi me anular,
Em nome de um amor
Que um dia
Foi a minha vida...

A quem me doei,
A quem me dediquei,
Sem lembrar
De pensar
Em mim...!
Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Renovação


Para Valderez de Barros, querida “amigairmã”, grande poetisa!

.
Se às vezes você esquece
De perdoar, ser feliz...
Eleve a Deus sua prece,
Escute o que Ele diz.

Dores se perdem com o vento,
Não feche o seu coração.
Acabe com esse tormento,
Dias melhores virão.

Converse mais com crianças,
Veja se esquece a dor,
Deixe um sorriso plantado...

Alimente suas esperanças...
E em busca de um novo amor,
Varra as cinzas do passado!
.
Lou Correia - Publicado no Recanto das Letras
em 24/01/2008Código do texto: T831027

.
Lou, minha irmã de fé, de alma, de coração, de poesia; meu agradecimento mais sincero, mais emocionado, mais profundo, por me presenteares com tão belo soneto!!! Te amo!!! Beijos!!!
Valderez de Barros - Maceió, 24 / 01 / 2008.
Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Sem nexo




Tenho que

Afastar de mim

Essa tola timidez...!

Que insensatez...!

.

Tenho que esquecer

Essa infantil e boba

Inibição

Sem razão...!

.

Esses insanos complexos,

Sem nexo,

Que me impedem

De ser feliz...!

Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

Publicado no Recanto das Letras
em 12/01/2008Código do texto: T814677

terça-feira, janeiro 15, 2008

Eterna boêmia



Sinto-me bem
Num lugar onde haja
Uma boa música,
Uma roda de amigos,
Onde se toque
Um gostoso
E afinado violão,
Um sax, um bandolim,
Um pandeiro,
Um cavaquinho...
Enfim,
Onde eu possa ouvir
E eventualmente
Cantar, músicas gostosas,
Agradáveis à alma,
Ao coração.
Assim sou eu,
Uma eterna boêmia,
Encontrando
Na música e na poesia,
Meu coração assim me diz,
Uma forte razão
Para ser feliz.
.
.Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

domingo, janeiro 06, 2008

Calei minha voz


Silenciei meu coração,
Cerrei meus lábios,
Tranquei minha alma,
Fechei meus olhos
Às coisas boas da vida...
Esqueci o gosto de um beijo de amor...
Esqueci o prazer de fazer amor.

Calei minha voz,
Quando queria gritar
O quanto te amava...!
Senti tanto amor
Se perdendo em mim...!
Quanta dor
Escondi em meu peito...!

Acorrentei meus desejos,
Perdi minhas ilusões,
Meus anseios de amar...
Escravizei meus sonhos
Por tanto tempo,
Que quase esqueci de
Como é bom sonhar.

Depois que você partiu,
Procuro não pensar
No que sofremos juntos
E só lembrar dos bons
Momentos que vivemos,
Porque nunca
Deixei de lhe amar.
.
A doce saudade
Que sinto de você,
Sempre irá me acompanhar.
Mesmo que eu volte
A amar com a mesma
Intensidade com que te amei,
Jamais te esquecerei...
Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, janeiro 02, 2008

Se eu deixar de sonhar




Num dia, desejo
Ardentemente
Te encontrar;
Meu coração se oprime,
De tanto por ti ansiar.

Num outro dia,
Cansada, desiludida,
Já não me importa
Se vens ou não
Pra minha vida.

Mas, se desisto de ti,
Estarei renunciando
Ao meu mais lindo sonho...

Se eu deixar de sonhar,
Estarei, inevitavelmente,
Desistindo de mim.
Copyright © jan / 2008
By Valderez de Barros
All rights reservved.

Publicado no Recanto das Letras
em 02/01/2008 Código do texto: T800176