/ Gritos de Minha Alma: Outubro 2008

sexta-feira, outubro 31, 2008

Bom dia, vida


( Para Valderez, depois de ler o seu poema "Medos" )


Se tudo parecer desabar
olhe ao seu entorno,
veja a vida pulsando,
pessoas passando,
pássaros cantando,
descubra a Primavera
chegou num dia tão belo.

Ouça o riso da criança
escute o barulho do mar,
siga o vôo da gaivota,
os ires e vires das ondas,
pise na areia úmida,
inebrie-se com o cheiro
forte da maresia.

Ouça do seu coração
o bater compassado,
sorva o ar da manhã,
sinta o calor da vida
inundando o seu corpo.
Abra um sorriso
e grite bem alto:
-Bom dia, vida!!

(JAC)
Zealberto
Maceió/Setembro/2008.


Zealberto, meu querido amigo de longas datas, agradeço, de coração, pelo carinho e apoio em forma deste lindíssimo poema, que me emocionou profundamente.
Aceites o meu mais terno e afetuoso abraço.
Valderez ( Dês ).
Copyright © nov / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

sábado, outubro 25, 2008

Soledade...


Naquela tarde de outono,
Vendo as folhas secas
Empurradas pelo vento,
Voando saltitantes,
Seguindo ao léu, sem destino;
E sabendo que
Desapareceriam completamente,
Se desvaneceriam, virando pó,
Foi quando senti um tremor
Penetrar minh'alma,
Que já pressagiava
A chegada do inverno,
Com noites intermináveis
De frio e soledade...


Publicado no Recanto das Letras em 17/10/2008
Código do texto: T1233561
Copyright © out / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, outubro 08, 2008

Sigo cantando...






Meu canto triste
De sons lamuriantes,
É o lamento de um coração
Que de saudade se angustia,
Chora, se agita em agonia,
Longe de um amor
Que é a sua vida...
E sua desdita.


...E sigo cantando,
Meu pranto amargando.
Sou pássaro sozinho,
Que perdeu seu ninho.
Triste, solto a voz,
Tentando, num delírio,
Encontrar alívio
Pra minha dor...
A saudade do meu amor...


Publicado no Recanto das Letras em 06/10/2008
Código do texto: T1214935
Copyright © out / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

domingo, outubro 05, 2008

Acordar com seu beijo...


Quando o amor
Me estender a mão,
Vou segurá-la com firmeza,
Com toda a força
Do meu coração...


Vou vencer barreiras,
Mandar embora, definitivamente,
Esta mulher covarde
Que me bloqueia,
Que tem medo de viver,
De se entregar ao amor...


Vou mergulhar de cabeça
Nessa viagem maravilhosa...
Deslizar numa nuvem cor de rosa
Pelo braço do meu amado...
E todas as manhãs, acordarei
Com o seu beijo apaixonado...


Publicado no Recanto das Letras em 05/10/2008
Código do texto: T1213044
Copyright © out / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, outubro 01, 2008

Na madrugada...



A noite vem,
Cobrindo-me
Com seu manto frio,
Molhado pelo orvalho
Que cai silencioso...

...E na madrugada,
O sono não vem...
Rolo na cama,
Tento me aquecer,
Mas não consigo...

...E mais uma noite
Longa e mal dormida,
Passa lentamente...

Copyright © out / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.

Se preciso for...



Se peciso for, percorro o espaço
Que há entre nós dois,
Atravesso rios e mares,
Movo montanhas e barreiras,
Só pra lhe encontrar...

Se preciso for, vôo em céu aberto
Salpicado de estrelas,
Peço à lua pra me guiar até você,
Meu sonho lindo, talvez inatingível,
Do qual não desisto, insisto em querer...

Um sonho que alimenta minha alma,
Que mantem a esperança no meu coração
De um dia amar e ser amada,
De realizar todas as loucuras de amor,
Que entrevejo na minha imaginação...


Publicado no Recanto das Letras em 29/09/2008
Código do texto: T1202839
Copyright © out / 2008
By Valderez de Barros
All rights reserved.