/ Gritos de Minha Alma: Novembro 2006

sexta-feira, novembro 24, 2006

Sonho Impossível


Ah! Essa ansiedade, essa angústia!
Essa vontade de chorar, de correr, de gritar!
Quando sinto a dor infinita de saber
Que nunca vou te ver, te sentir, te tocar...

Sinto-me pequena para suportar a emoção
Que toma conta de mim, quando penso em ti...
Fazendo quase explodir no peito o meu coração...
Fazendo minha alma, de amor, se consumir...

Ah! Esse amor incontido me deixa louca...!
Esse sonho impossivel me desespera...!
A certeza de que nunca serás meu, me faz penar...!
Mas, mesmo assim, meu coração teima em te amar...
Copyright © 2006
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, novembro 22, 2006

Momentos Vividos



Ah,se pudéssemos voltar no tempo
alguns momentos que vivemos,
com o conhecimento que temos
presentemente do quanto
eles significaram para nós...!
Se pudéssemos reter em nossas mãos
aquele contato mágico
que gerou centelhas dentro de nós;
reter em nossos lábios
aqueles beijos quentes
com todos os sabores da vida;
reter em nossos olhos
aquele olhar às vezes meigo,
às vezes cheio de amor e desejo...!
Ah, se o tempo voltasse!!!
Mas, se não fizemos
naqueles momentos mágicos,
o que de mais íntimo ansiávamos,
só nos resta a saudade dolorida
e o vazio em nossas almas...
Copyright © 2006
By Valderez de Barros
All rights reserved.

terça-feira, novembro 21, 2006

Amo




Ainda que não o veja, eu o SINTO...

Ainda que não me fale, sua voz ESCUTO...

Ainda que tão longe, sinto-o PERTO...

Ainda que seja tarde, QUERO...

Ainda que eu não possa, TEIMO...

Ainda que a realidade me atinja, TENTO...

Ainda que impossível, AMO...


Copyright © 2006
By Valderez de Barros
All rights reserved


segunda-feira, novembro 20, 2006

Emoções Contidas



Emoções Contidas


Hoje eu sou a sombra do que fui...
Minh'alma vive perdida
num turbilhão de emoções contidas...
Meu coração vagueia
no tempo e no espaço,
sempre perseguindo um sonho
e morrendo, a cada dia, um pouco...

Será que algum dia
minha alma terá paz...?
Será que algum dia
meu coração deixará de sofrer
e se acomodará, murcho e seco,
cansado de sem amor viver...?

Sim, talvez um dia isso aconteça,
mas, aí então será tarde demais,
porque meu corpo sem vida,
descansará em paz...
Maceió / 1985.


Copyright © 1985
By Valderez de Barros
All rights reserved

domingo, novembro 19, 2006

Poema Inacabado



O que faço contigo...?
És meu luar...Sol
Que me dá seu calor,
Primavera de luz
Que o meu outono conduz...
.
O que queres de mim...?
Dizes que me amas,
E que me queres...
Que eu sou a tua vida,
O teu porto, o teu abrigo...
.
O que fazes comigo...?
Por que essa lágrima sentida
Teima em cair no meu rosto...?
Por que essa dor no meu peito,
De saudade, de desgosto...?
.
Se me amas,
Vem cuidar de mim...!
Se não me amas,
Deixa que se faça o fim...!
Mesmo me arrebentando o peito,
Mesmo com
os meus sonhos desfeitos...!
Copyright © 2006
By Valderez de Barros
All rights reserved.

sábado, novembro 18, 2006

Só Resta Dizer Adeus


Ah, eu sei que devo

deixar de lhe amar

e dar um adeus...!

Ah, eu sei que devo

calar e abafar

os sentimentos meus...!

.

Sei que não devo lhe amar

e que preciso aceitar

a sua indiferença...!

Sei que devo lhe esquecer

e que não posso ter

nenhuma esperança...

.

Quisera estar presente

em seu sentimento,

em sua emoção...!

Quisera ter um pequeno espaço,

no seu coração...!

.

Meus braços precisam dos seus,

mas você não me quer!

Que tormento, meu Deus!

.

Vai e leva os sonhos meus!

O que me resta agora,

é dizer adeus...!

Copyright © 2006
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quinta-feira, novembro 02, 2006

Te Perdi





O meu amor,
Que de tão grande, forte e profundo,
Me completava e já fazia parte de mim...
Te dei meus sonhos, os meus anseios e ilusões...
Me dei inteira, de corpo e alma,
Sem restrições...

Te dei minha boca, tão inocente,
Mas que, num momento, com sofreguidão
Buscava a tua, numa ânsia louca,
Cheia de paixão...

Te dei meu corpo inexperiente
E que, apaixonado, amoldaste ao teu...
E eu me senti amada e desejada,
Me senti mulher...

Mas, começaste a fugir de mim...
A me humilhar e até me desprezar...
E eu me senti ferida, me senti traída,
Me perdi de vez...!

E de repente, tu não eras mais meu
E eu não era mais tua...
Foste destruindo e espezinhando,
O que de bom havia entre nós dois...

Talvez ciúmes, insegurança, o que sei eu...!
Só sei que, de tanto me humilhares
E me desprezares, me perdeste para sempre...
Como eu também, sem saber por quê...
Te perdi...!


Maceió / 1985


Copyright©1985
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quarta-feira, novembro 01, 2006

Em Busca do Nada...


















Sofrer...
Eu sofro em silêncio
Uma dor tão pungente,
Que me arrebenta,
Que me violenta...

Chorar...
Eu choro escondida
Um pranto tão sentido,
Que me dilacera,
Que me aniquila...

Viver...
Como eu queria viver...!
Amar...
Como eu queria amar...!
Sonhar...
Só o que posso é sonhar...

Tão só,
É como posso ficar...
E vagar
Feito alma penada,
Em busca do nada,
Sem um lugar pra ficar...

Sonhar com o amor
Que não posso ter...
Ficar sempre só, sem ninguém
Que me ame também...

Já não sei o que fazer
Pra afastar a angústia
De viver tão sozinha,
Sem amor , sem carinho...

"Eu preciso aprender a ser só"!
A ser só, eu preciso aprender...


Copyright © 2005
By Valderez de Barros
All rights reserved