/ Gritos de Minha Alma: Junho 2011

domingo, junho 26, 2011

Vento menino



Sopra, vento!
Sopra buliçoso!
Rodopia alvoroçado,
Menino brincalhão!

Leva contigo

Mágoas, desencantos,
Amores passados,
Dores vividas!


Depois, na tua volta,
Traz o meu amor!
Aquele amor tão desejado,
Tão sonhado!

Aquele que dará

Um novo colorido

À minha vida,
Ao meu coração...!


Copyright © jun /2011
By Valderez de Barros
All rights reserved.


sexta-feira, junho 10, 2011

Cantando para ele





Se às vezes reclamo, por querer encontrar um novo grande amor,
Não me censurem, porque, mesmo a vida sendo bela
(E agradeço a Deus por ela, e por ELE ter me dado tanto),

No meu coração há um lugar desocupado,
Que não me deixa esquecer o quanto dói este vazio.


Se falo sempre em saudade, solidão, melancolia,

Não me critiquem, porque me entristeço

Pela falta que sinto de alguém

Com quem possa abrir minh'alma,

Com quem possa dividir minhas tristezas e alegrias...


Alguém que enxugue minhas lágrimas,

Que fique feliz com meu sorriso,

Que acompanhe meu riso,

Que cante comigo, mesmo desafinando...

Alguém em quem eu me veja, ao olhar nos seus olhos,

Em quem eu encoste meu corpo cansado;

Que adivinhe quando quero ser beijada,

Quando quero colo, o quanto quero ser amada.

 

Então, se às vezes eu chorar, mesmo quando soltar a voz,
Por favor, entendam! É que falta, naquele momento,

Aquela pessoa especial, pra quem eu queria estar cantando.



Copyright © jun /2011
By Valderez de Barros
All rights reserved.

quinta-feira, junho 02, 2011

Derinha




Por Wallace Miranda - em 10/2010




Personalidade enigmática,
cheia de mistérios, exótica,
silenciosa e ao mesmo tempo efervescente
em seus sentimentos.

Palavras pausadas, frases comedidas,
vez por outra ousadas.
Texto sólido e solúvel,
amiga fraterna, mãe,
irmã, filha adorada...

No silêncio de tua ausência,
amiga e querida DERINHA,
fica gravada em nosso tempo
a fotogenia de tua beleza.

As lentes do bem-querer,
as recordações que nos apertam a todos
não se acomodaram.
Que nossas cantigas de ontem
te adormeçam em paz...


*** / ***



Lóce, querido amigo, tens a minha eterna gratidão
pelo carinho e atenção que sempre tiveste pela Derinha,
como bem dizes neste poema que fala de saudade.
Meu mais afetuoso abraço!!! Valderez.